Cateteres e Ports no tratamento do câncer

Escrito por Dra. Vivian Coski

O que são cateteres e ports?

Os cateteres são inseridos dentro das veias para a administração de medicações. Para a realização de alguns protocolos de quimioterapia é necessário o implante do cateter de longa permanência, chamado port-a-cath, para evitar e lesão nas veias e o risco de extravasamentos dos quimioterápicos.

Quais são os tipos de cateteres?

Os cateteres venosos periféricos são os mais comuns, podem ser inseridos nas veias da mão ou do braço e, inclusive, podem permanecer puncionados por até 3 dias. O PICC é um cateter especial inserido através da pele, atinge a veia cava superior que leva sangue ao coração e, com isso, os medicamentos chegam diretamente à circulação central. Este tipo de cateter tem duração de semanas ou meses e pode ser utilizado para a infusão de quimioterápicos naqueles pacientes que não possuem acesso periférico, ou naqueles que não tem port-a-cath. O port-a-cath por sua vez, é um cateter de longa permanência, podendo permanecer anos em uso, sendo a via preferencial para a realização de quimioterápicos.

Quais são os benefícios do port-a-cath (cateter permanente de longa duração)?

Ter um cateter significa que você receberá o tratamento diretamente através deste dispositivo, sem necessidade de várias punções venosas durante o mesmo. Eles também vão reduzir o risco de dano tecidual e muscular, que podem ocorrer caso ocorra extravasamento das medicações, além de também evitar sangramentos em pacientes que apresentam problemas de coagulação.

Quais os cuidados com o port?

Os cateteres de longa permanência (Port-a-cath) são os mais práticos, além de serem os que oferecem menores riscos de infecções. O disco do cateter fica implantado no tecido subcutâneo (pele), na parede superior do tórax, abaixo da clavícula. Deste disco subcutâneo sai um cateter que vai até o átrio direito (coração). Com o correto manuseio do cateter, utilizando material estéril, o risco de infecções é baixo; por isso, este tipo de cateter só deve ser manipulado por equipe especializada em oncologia. O risco de trombose também é pequeno quando o cateter é heparinizado corretamente, o que chamamos de limpeza do cateter.

Por quanto tempo o port-a-cath pode permanecer no corpo?

Como é um cateter de longa duração pode permanecer  por anos (em média 5 anos), se estiver em boas condições e corretamente heparinizado. Os oncologistas costumam recomendar que o cateter permaneça por cerca de 2 a 3 anos após o término da quimioterapia curativa; mas, caso o paciente tenha algum incômodo com o cateter, ou alguma complicação (infecção, trombose), ele deve ser retirado antes.

Quais são os sinais de problemas com o port?

Fique atento em sinais de infecção: dor, calor, vermelhidão e inchaço ao redor do cateter. Caso você tenha um cateter e apresente febre, deve relatar imediatamente ao seu médico ou ir ao hospital, devido ao risco de infecção.

O port-a-cath é uma forma mais confortável e segura de realizar a quimioterapia. Deve ser bem implantado pelo vascular e bem cuidado pela equipe oncológica, e pelo paciente.

Outras Publicaes

agende sua consulta agora
2019 Dra. Vivian Coski Todos os direitos resevados.